Author Archives: williamdocarmo

O que é NSX

O NSX incorpora a funcionalidade de segurança e sistema de rede que costuma ser usada no hardware diretamente no hipervisor. A plataforma de virtualização de rede NSX transforma profundamente o modelo operacional de rede da central de dados, como a virtualização de servidor fez há 10 anos e está ajudando milhares de clientes a perceber todo o potencial de uma central de dados definido por software (SDDC, Software Defined Data Center).

 

O NSX reproduz no software todo o ambiente de sistema de rede. Ele oferece um conjunto completo de serviços e elementos lógicos de sistema de rede que incluem alternância, roteamento, firewall, balanceamento de carga, VPN, qualidade de serviço (QoS, Quality of Service) e monitoramento lógicos. As redes virtuais estão programaticamente aprovisionadas e gerenciadas de modo independente do hardware subjacente.

 

Quais são as funções do NSX

Move um sistema de rede para software

A plataforma de virtualização de rede NSX está ajudando centenas de clientes a perceber o pleno potencial de uma central de dados definido por software (SDDC). O NSX move o sistema de rede para software, criando níveis de flexibilidade nunca antes vistos. Ele transforma profundamente o modelo operacional de rede da central de dados, como a virtualização de servidor fez há 10 anos.

Permite mover cargas de trabalho facilmente

O NSX move as máquinas virtuais e todas as redes e políticas de segurança associadas entre os data centers em apenas alguns minutos. Ele evita qualquer interrupção no aplicativo em execução, proporcionando centrais de dados ativo-ativo e opções imediatas de recuperação de desastres.

Reduz o tempo de aprovisionamento de rede

O NSX reduz de semanas para segundos o tempo de aprovisionamento de redes inteiras no software. Ele abstrai as redes virtuais da rede física subjacente, fornecendo a flexibilidade para executar em qualquer hardware de rede. Com eficiência operacional aprimorada por meio de automação, os operadores de rede podem obter implantação mais rápida e alcançar maior agilidade.

Permite a microssegmentação de rede

O NSX leva segurança para o interior da central de dados com políticas automatizadas e granulares vinculadas às máquinas virtuais. Ele permite a microssegmentação para reduzir de modo significativo a propagação lateral de ameaças na central de dados. Ao tornar a microssegmentação operacionalmente viável, o NSX leva um modelo de segurança inerentemente melhor à central de dados.

Fonte: http://www.vmware.com/br/products/nsx.html

O que é SDN – Software defined network – NSX

O Software-Defined Networking (SDN) não é uma habilidade que você aprende. SDN não é uma aula que você assiste. Certamente não é um treinamento no qual você pode participar. SDN é simplesmente um conceito. É o software e a tecnologia fundamental que você precisa entender, desenvolver e construir.

O SDN é uma nova abordagem no desenvolvimento, construção e gerenciamento de rede. O princípio básico para entender esse novo recurso, é visualizar o SDN como algo que separa o controle da rede central e dá a possibilidade de promover uma otimização personalizada. A condição permite que engenheiros e administradores de rede possam responder rapidamente aos vários requerimentos das empresas.

Assim como a nuvem, o SDN nasceu de limitações de tecnologias para acompanhar as mudanças de outras tecnologias e demandas. É um mix de tecnologias e software, como se fosse tudo embrulhado em um cobertor quente e confortável chamado de “SDN”.

Por que demorou tanto para o paradigma da rede mudar? Porque a rede apenas funciona. Protocolos de rede, algoritmos e equipamentos apenas mudam com o propósito de seguir a velocidade dos dados que os serviços demandam e para tomar decisões eficientes. A única razão para que a mudança esteja ocorrendo agora é para acompanhar as mudanças que a automação e a virtualização da nuvem traz. Sem essas tecnologias, a rede ainda seria estática.

Mas o que isso quer dizer, “sem a virtualização a rede ainda seria estática?”. Mesmo se você tirar a virtualização desse mix, a rede ainda precisa mudar!

Sim, é verdade, mas o que exatamente está mudando aqui? Sem a nuvem/virtualização, tudo o que a rede precisa fazer é tornar o tráfego dos dados mais eficiente. O que “eficiente” significa para você pode ser qualquer coisa. Isso ainda pode ser feito ao usar hardware e construir características em um firmware, ou seja, o conjunto de instruções operacionais programados diretamente no hardware de um equipamento eletrônico. O SDN foi criado para lidar com a demanda de virtualização e serviços em nuvem sem a intervenção humana. É claro, como qualquer outro conceito, assim que a ideia nasceu, outros usos e benefícios começaram a surgir fora do domínio virtual.

Sim, você pode ter SDN sem realizar virtualização. Afinal, virtualização é aquilo que veio antes mesmo do SDN se tornar apenas uma teoria. Agora que já se espalhou, pessoas e donos de negócios estão buscando maneiras para usá-lo a cada hora.

Para responder a pergunta, “como a indústria de rede capacita e constrói competências para o SDN de amanhã?”, é necessário desenvolver caminhos de desenvolvimento e capacitação para a tecnologia que está sendo utilizada.

É visível que muitos engenheiros de rede já estejam aprendendo algum tipo de programação direcionada ao crescimento do Software Defined Network. Embora exista esse interesse, o fornecedor que está vendendo o SDN deve ser o principal responsável por treinar e capacitar com as habilidades necessárias os compradores interessados em adquirir essa tecnologia.

 

Fonte: http://www.broadtec.com.br/sdn-e-um-conceito-nao-uma-tecnologia/

O que é virtualização?

Virtualização é o processo de criar uma representação baseada em software (ou virtual) de algo, em vez de um processo físico. A virtualização pode se aplicar a aplicativos, servidores, armazenamento e redes, é a maneira mais eficaz de reduzir as despesas de TI e, ao mesmo tempo, aumentar a eficiência e a agilidade para empresas de todos os portes.

Tipos de virtualização 

Virtualização de servidor

A maioria dos servidores opera com menos de 15% da capacidade, o que leva à proliferação de servidores e à complexidade. A virtualização de servidor resolve essas ineficiências, pois permite que vários sistemas operacionais sejam executados em um único servidor físico como máquinas virtuais, cada uma com acesso aos recursos computacionais do servidor subjacente. O próximo passo é agregar um cluster de servidores a um único recurso consolidado, o que melhora a eficiência geral e reduz os custos. A virtualização de servidor também aumenta a velocidade de implantação de cargas de trabalho, melhora o desempenho de aplicativos e aumenta a disponibilidade.

Virtualização de rede

A virtualização de rede é a reprodução completa de uma rede física no software. Os aplicativos são executados na rede virtual exatamente da mesma maneira como se estivessem em uma rede física. A virtualização de rede apresenta serviços e dispositivos lógicos do sistema de rede (portas lógicas, switches, roteadores, firewalls, balanceadores de carga, VPNs e outros) para cargas de trabalho conectadas. As redes virtuais oferecem os mesmos recursos e garantias de uma rede física e ainda fornecem os benefícios operacionais e a independência de hardware da virtualização.

Virtualização de desktop

Implantar desktops como serviços gerenciados oferece a oportunidade de responder com mais rapidez a mudanças de oportunidades e necessidades. Você pode reduzir custos e aumentar o serviço fornecendo de maneira fácil e rápida desktops e aplicativos virtualizados em tablets iPad e Android a filiais, funcionários externos e terceirizados e trabalhadores móveis.

Armazenamento definido por software

Grandes volumes de dados e aplicativos em tempo real demandam novos níveis de armazenamento. A virtualização de armazenamento abstrai os discos e as unidades flash dos servidores, combina-os em pools de armazenamento de alto desempenho e fornece-os como software. O armazenamento definido por software (SDS) é uma nova abordagem de armazenamento que possibilita um modelo operacional basicamente mais eficiente.

Benefícios da virtualização

A virtualização pode aumentar a agilidade, a flexibilidade e o dimensionamento da TI e, ao mesmo tempo, permitir uma economia significativa. A implantação de cargas de trabalho é mais rápida, o desempenho e a disponibilidade são maiores e as operações se tornam automatizadas. Tudo isso resulta em uma TI mais simples de gerenciar e mais barata para ter e operar. Os benefícios adicionais incluem:

  • Reduzir despesas operacionais e de capital.
  • Minimizar ou eliminar o tempo de inatividade.
  • Aumentar a produtividade, a eficiência, a agilidade e a capacidade de resposta da TI.
  • Aprovisionar aplicativos e recursos mais rápido.
  • Ativar a continuidade de negócios e a recuperação de desastres.
  • Simplificar o gerenciamento de data centers.
  • Crie um data center real definido por software

COMO FUNCIONA

Introdução à virtualização

As organizações de TI enfrentam o desafio de lidar com as limitações dos servidores x86 atuais, que foram projetados para executar apenas um sistema operacional e um aplicativo de cada vez. Como resultado, até mesmo data centers pequenos precisam implantar muitos servidores, cada qual operando com apenas 5% a 15% de capacidade — o que é altamente ineficiente por qualquer padrão.

A virtualização usa software para simular a existência de hardware e criar um sistema de computadores virtual. Com isso, as empresas podem executar mais de um sistema virtual, e vários sistemas operacionais e aplicativos, em um único servidor. Isso resulta em economias de escala e mais eficiência.

A máquina virtual

Um sistema de computadores virtual é chamado de “máquina virtual” (VM): um contêiner de software rigidamente isolado que contém um sistema operacional e aplicativos.  Cada VM autocontida é completamente independente. Colocar múltiplas VMs em um único computador permite que vários sistemas operacionais e aplicativos sejam executados em um só servidor físico ou “host”.

Uma fina camada de software, chamada hypervisor, desassocia as máquinas virtuais do host e aloca dinamicamente os recursos de computação a cada uma dessas máquinas, conforme o necessário.

Principais propriedades das máquinas virtuais

As VMs apresentam as características a seguir, que oferecem vários benefícios.

Particionamento

  • Execução de diversos sistemas operacionais em uma máquina física
  • Divisão de recursos do sistema entre máquinas virtuais

Isolamento

  • Fornecimento de isolamento de falhas e segurança no nível do hardware
  • Preservação do desempenho com controles avançados de recursos

Encapsulamento

  • Gravação em arquivos do estado integral da máquina virtual
  • Facilidade para mover e copiar máquinas virtuais (tão fácil quanto mover e copiar arquivos)

Independência de hardware

  • Aprovisionamento ou migração de qualquer máquina virtual para qualquer servidor físico

Consolidação de servidor

Com a virtualização de servidor, uma empresa pode maximizar o uso dos recursos de servidor e reduzir o número de servidores necessários. O resultado é a consolidação de servidor, que aumenta a eficiência e corta os custos.

Não é computação em nuvem

Computação em nuvem não é o mesmo que virtualização. Na verdade, computação em nuvem é algo que você pode fazer usando virtualização. A computação em nuvem descreve o fornecimento de recursos compartilhados de computação (software e/ou dados) sob demanda pela Internet. Quer esteja na nuvem ou não, você poderá começar virtualizando seus servidores e, em seguida, passar para a computação em nuvem para obter ainda mais agilidade e melhor autoatendimento.

FONTE: https://www.vmware.com/br/solutions/virtualization.html